Imagem do Topo
  Quinta-Feira, 31 de Julho de 2014  
menu principal
m
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
redes sociais
 
   
   
 
 
 
   
 
  Eram quase 400 mentirosos  
     
 
Então o rei de Israel reuniu os profetas até quase quatrocentos homens, e disse-lhes: Irei à peleja contra Ramote de Gileade, ou deixarei de ir? E eles disseram: Sobe, porque o SENHOR a entregará na mão do rei. (I RS 22.6)


O rei Jeosafá de Jerusalém foi se encontrar com o rei Acabe de Samaria, e este ultimo, convidou Josafá para juntar seus exércitos e atacar a cidade de Ramote-Gileade que anteriormente pertencia a Israel. Mas como o rei Jeosafá tinha o costume de antes de tomar qualquer decisão consultar a Palavra de Deus para saber se era a Sua vontade ou não, Jeosafá sentia que algo estava incompleto. E Acabe sendo um rei que não atendia nem se preocupava em temer a Deus, convocou seus profetas que estavam á disposição dele, e eram sustentados por ele, prontos a dar-lhe apoio em qualquer atitude que tomasse. Acabe então perguntou-lhes: Irei eu á guerra contra Ramote Gileade e prevalecerei? E, a uma só voz, todos profetizaram: Vai ó rei porque o Senhor é contigo. Acabe ficou satisfeito. Mas Jeosafá desconfiou que alguma coisa estava errado, até porque era uma questão de vida ou morte, pois iam á guerra.



Então, perguntou ao rei Acabe: porventura não há ainda algum profeta do Senhor por quem devemos consultar? Acabe parou, pensou e sentiu que Jeosafá viu com os olhos da sua experiência com Deus que os seus aliciados profetas eram duvidosos. E disse a Jeosafá: Há ainda um profeta chamado Micaias, mas, eu o aborreço por isso nem o chamei, porque ele não profetiza de mim o que bom, mas somente o que é mal.


Micaias, possivelmente era o quatrocentéssimo profeta que faltava, porque nunca era chamado pelo rei, porque era homem de caráter, justo e temente a Deus e não trocava o seu ministério por presentes do rei, por isso era execrado do palácio, da sociedade, do convivo e prosperidade dos falsos profetas. Ainda bem!


Diante daquele impasse, Acabe mandou buscar o seu incômodo profeta, sabendo que sua intenção como sempre carnal e maligna iria ser reprovada por quem tinha a coragem de reprovar.


De antemão, Micaías foi advertido quando os funcionários do rei foram buscá-lo, e disseram que todos os profetas falaram bem da intenção do rei, isto é, que ele deveria deixar a sua petulância e rigor, e ele deveria abrir mão de suas convicções em obedecer a Palavra de Deus a fim de receber as benesses do rei.


Mas, a resposta convicta de Micaias foi: O que o Senhor mandar, isso falarei.


Quando Micaias chegou á presença do rei, a pergunta foi a mesma: Irei a Ramote-Gileade, e prevalecerei contra ela? E com sarcasmo o profeta respondeu: Vai, porque o Senhor te entregará em tuas mãos. Aborrecido, Acabe disse ao rei Jeosafá; Eu não disse que ele só profetiza o que é mal? Então Micaias passou a falar o que Deus realmente lhe mostrara. Que Deus enviou um espírito de mentira na boca de todos aqueles profetas. Então um dos profetas, Zedequias, deu uma bofetada em Micaias. E arrogantemente disse; por onde passou de mim o Espírito de Deus para falar contigo? Respondeu-lhe Micaias: Quando naquele dia você vai procurar se esconder debaixo da sua cama, por Israel ter perdido a guerra.


Acabe disse ao carcereiro: Poe esse homem na masmorra até que eu volte em paz.. Foi quando o profeta Micaias alçou a sua voz convictamente diante de todo povo: Se tu voltares, então, Deus não falou por mim.


E foi o que aconteceu. O rei Acabe já “cabreiro”, entrou na guerra disfarçado de soldado para não ser notado, enquanto Josafá na sua simplicidade foi com sua veste real, e observado pelo inimigo, quase perdeu a vida, por pensarem que ele era Acabe.


( Diga-se de passagem. Que devemos ter o cuidado de não por em risco e nossa fé, nosso bom costume e observância á Palavra de Deus. Nos associando, honrando ou ainda amando pessoas que notadamente escarnece da verdade e amam mais ao mundo e a injustiça do que a Deus. Que são rebeldes, dados as heresias e vivem uma vida puramente carnal. Devemos ter a coragem de adverti-los, mesmo que seja parente. São Paulo mostra que devemos ter cuidado com certos “irmãos” devassos e amantes do pecado ( I Co 5.9-13)


Quando Acabe entrou no meio da guerra, um soldado inimigo entesou o seu arco e o soltou aleatoriamente atingindo Acabe, que foi ferido, e morreu.


Naquele reino, aqueles quase 400 profetas poderiam anteriormente ter sido usados por Deus, se amasse mais a Deus do que os privilégios dado pelo homem. O rei Acabe era um homem sem caráter influenciado e dominado por sua mulher, Jezabel. Um rei reprovado por Deus por causa das suas maldades, incredulidade e pecados. Agora, se provendo dos seus profetas bajuladores prontos a aprovar todas as suas maldosas e erradas atitudes, Acabe comprou a sinceridade, e a fidelidade daqueles homens que tinham apostatado da sua fé e ministério.


Curiosamente, o texto bíblico diz expressamente que Deus enviou um espírito de mentira para que todos aqueles profetas mentissem. Mas porque Deus fez isso? Vamos aos ensinos do Apostolo Paulo, quando escreveu aos crentes da cidade de Tessalonica, ensinando o que acontece com os que não amam nem retém a verdade. “Com todo o engano da injustiça para os que perecem, porque não receberam o amor da verdade para se salvarem. E por isso Deus lhes enviará a operação do erro, para que creiam a mentira; Para que sejam julgados todos os que não creram a verdade, antes tiveram prazer na iniqüidade”. (2Ts 2.10-12)



Aqueles profetas estavam satisfeitos em serem elogiados pelo rei, serem aceitos no palácio, participar das iguarias do rei e serem custeados pelo tesouro do rei. Viviam uma vida regalada. E o que o rei queria, eles aprovavam não se importando com a sua responsabilidade ministerial diante de Deus. Deus estava em segundo plano para eles.


O que tem acontecido com muitos lideres evangélicos atualmente. Eles entram para o ministério já com a intenção de grandeza, de avareza, e prontos para fazer o que o seu líder maior disser; desde que o engrandeça. Não importa se ensine mentira, heresias, fraude. Seus corações já estão inclinados para explorar a fé dos que vêm em busca de socorro ou de riquezas, estabilidade financeira. Como dizem: “Vem para se dá bem”. Então, encontram esses lideres dispostos a fazer de tudo para usurpar o que ainda resta dos incautos e insatisfeitos. E como estão inclinados para mentir; tornam-se recipientes vazios para o espírito do erro o encher de toda sorte de heresias, mentiras, fantasias e falsidade.


O apostolo Tiago escreveu que: aquele que quer ser amigo do mundo constitui-se inimigo de Deus. E até os chama de adúlteros. (Tg 4.4)


São João ainda escreveu dizendo que não se deve amar o mundo, nem o que no mundo há, porque todo aquele que ama o mundo não é amado do Pai celestial, porque tudo o que há no mundo é resultado da paixão carnal. (I João 2.15)


Naquela batalha, foi grande a derrota do povo de Israel, muitos foram mortos, e onde estavam aqueles profetas?
Assim são também aqueles que se embebedam pelas coisas do mundo e não sabem valorizar o que o Senhor fez em suas vidas e deixam as glorias e riquezas do mundo entrar nos seus corações.


O Reino de Deus está na terra para exatamente fazer a diferença do reino do mundo, deve batalhar contra o reino mundo e se não há diferença é porque não houve o abandono do mundo e se não há batalha é porque estão conformado como mundo. Leia a veemente advertência do apostolo Pedro a este respeito (2 Pe 2.10-22)


Deus sempre esteve á procura de homens de verdade, que ame e honre o seu ministério. Que não se vendam nem menosprezem o evangelho da verdade mas sofrem como bom soldados de Cristo, para que possam receber a recompensa maior, na Gloria do Pai celestial.


Homens como Moisés que abdicou do poder e a oportunidade de desfrutar dos pecados de luxurias do Egito.



Pela fé Moisés, sendo já grande, recusou ser chamado filho da filha de Faraó. Escolhendo antes ser maltratado com o povo de Deus, do que por um pouco de tempo ter o gozo do pecado. Tendo por maiores riquezas o vitupério de Cristo do que os tesouros do Egito; porque tinha em vista a recompensa. Pela fé deixou o Egito, não temendo a ira do rei; porque ficou firme, como vendo o invisível. (Hb 11.24-27)



Como Saulo que tendo todo privilégio e autoridade dos religiosos fariseus.



“Mas o que para mim era ganho reputei-o perda por Cristo.



E, na verdade, tenho também por perda todas as coisas, pela excelência do conhecimento de Cristo Jesus, meu Senhor; pelo qual sofri a perda de todas estas coisas, e as considero como escória, para que possa ganhar a Cristo, E seja achado nele, não tendo a minha justiça que vem da lei, mas a que vem pela fé em Cristo, a saber, a justiça que vem de Deus pela fé; Para conhecê-lo, e à virtude da sua ressurreição, e à comunicação de suas aflições, sendo feito conforme à sua morte; Para ver se de alguma maneira posso chegar à ressurreição dentre os mortos. Não que já a tenha alcançado, ou que seja perfeito; mas prossigo para alcançar aquilo para o que fui também preso por Cristo Jesus. Irmãos, quanto a mim, não julgo que o haja alcançado; mas uma coisa faço, e é que, esquecendo-me das coisas que atrás ficam, e avançando para as que estão diante de mim, Prossigo para o alvo, pelo prêmio da soberana vocação de Deus em Cristo Jesus”. ( Fl 3. 7-14)



E tantos outros que deram testemunho de fidelidade e que temos por certo que estão gozando das riquezas eternas que a sua fé e obediência á Palavra de Deus, comprou.



Aos brados de exultação e glorificação do povo e dos seus honrados profetas, saiu Acabe á guerra; enquanto Micaias descia a masmorra para ser torturado com pão de angustia e águas de amargura, desprezado e censurado aos olhos de todos. Mas o que prevaleceu foi a palavra do homem de Deus porque Acabe morreu na guerra e os seus profetas ficaram confundidos.


 
     
     
  Autor: Pr. José Edson  
     
 
   
 
logo
Todos os direitos reservados a Assembléia de Deus do Ano Bom
Avenida Presidente Kennedy, 1502 - Ano Bom - Barra Mansa/RJ - Tel.: (24) 3323-5288